EO2 EDGE: o pré-treino que melhora a oxigenação muscular


Review do Suplemento EO2 EDGE

A MRI, uma das empresas que considero hoje com a mais alta tecnologia em suplementos alimentares (não necessariamente em ergogênicos também), recentemente lançou mais uma novidade referente a pré-treinos no mercado de suplemento erogênicos, sendo este, o EO2 EDGE, um pré-treino que, basicamente promete uma oxigenação muscular jamais vista antes.

Quando falamos em um suplemento o qual promete uma melhor oxigenação muscular, logo pensamos em? Para quem imaginou a palavra “endurance” ou atividades aeróbias, acertou. Mas, e se eu dissesse que não são apenas esse tipo de atletas e praticantes de modalidades físicas tais quais as corridas, o ciclismo, a natação ou até mesmo o basquete, mas também, para atletas de esportes de força como os weightlifters e os bodybuilders? Pois bem, mas é exatamente isso! Sem uma devida oxigenação muscular e, nos tecidos periféricos do corpo, a tendência é, em primeiro lugar, entrarmos em uma fadiga mais rápida, na medida em que, o músculo terá de optar por vias secundárias de energia, como ao final da glicólise, onde se tem basicamente algumas substâncias como o piruvato que resultará na produção de ácido lático em casos de anaerobiose (ou seja, na falta de O2, ou oxigênio), fazendo assim com que o pH muscular se eleve e então a fadiga seja maior, além de dificultar a recuperação, é claro.

Diferente de muitos produtos, EO2 EDGE não acrescenta energia no sentido de fornecer nutrientes base para o corpo, como carboidratos e, tampouco possui o fundamento de hidratação, fornecendo quantidades maiores de eletrólitos ao indivíduo (apesar de, a hidratação também ser uma das vantagens obtidas pelo produto). Do contrário, essa é uma fórmula bastante trabalhada e livre de estimulantes visando aspectos nutricionais e fornecendo nutrientes que possam, efetivamente, melhorar essa oxigenação muscular.

Ao que se pode imaginar, fornecer nutrientes como carboidratos durante o treinamento, pode ser conveniente, afinal, eles são a fonte primária de energia para o corpo, não é? Pois bem, isso se estudos não revelassem que o consumo de altas quantidades de carboidratos durante o treinamento pode não só causar problemas tais quais o famoso acúmulo de gordura aos mais propensos, sonolência e outras coisas, mas também, oxidar mais ainda a musculatura, gerando prejuízos extras. EO2 EDGE, por sua vez, combina, além de carboidratos em baixa quantidade, como a maltodextrina e a frutose, outras fontes energéticas facilmente absorvidas, como os MCTs ou, médium chain triglycerides (para o português, triglicérides de cadeia média). Os estudos mostram que, a utilização de frutose juntamente com a maltodextrina promovem uma durabilidade energética maior. Isso porque, a glicose é absorvida no intestino, por um receptor dependente do mineral sódio, denominado SGLT-1, enquanto a frutose é pelo receptor GLUT-5. Isso faz com que, se consumíssemos apenas carboidratos em alta quantidade, talvez o número de receptores não desse conta de toda a absorção e então, demorasse mais para “aliviar esse canal” e permitir a entrada de carboidratos na corrente sanguínea. Além disso, os MCTs são absorvidos em outro canal ainda. Assim, o fornecimento de energia torna-se até 200% maior.

Embalagem do produto EO2 EDGE da MRI

Sendo assim, como citado, se há mais disponibilidade energética ao músculo e, menos se precisa optar por outras vias de geração de energia, como a da fermentação láctica, a iniciar do piruvato produzido na glicólise (processo em que a glicose é convertida em ATP, nossa “moeda energética” primária). Portanto, os níveis ácidos no corpo não tendem a cair, fazendo com que a fadiga demore mais para chegar. Além de conseguir melhorar o controle do pH com esse mecanismo, contamos com a Carnosina, que possui efeito de tamponamento no músculo, fazendo com que o pH se mantenha o mais estável possível e não tenda a cair tão depressa.

O produto ainda, apresente ingredientes capazes de aumentar a produção de células vermelhas no sangue (que são as responsáveis pelo transporte de oxigênio aos tecidos corpóreos e retirada de gás carbônico dos mesmos). Com esse aumento, ainda, é possível o aumento do óxido nítrico, melhorando ainda mais a oxigenação, aumento da utilização de glicose etc.

A infusão de eletrólitos é conhecia e tida como fundamental há anos. Portanto, EO2 EDGE não poderia esquecer-se desse fator. Eletrólitos são indispensáveis, entre outras funções para uma adequada contração muscular e, olhando mais precisamente afundo, para que haja a sinapse, ou, comunicação entre os neurônios. Os mesmos, tais quais, entre os principais sempre destacamos o sódio, o potássio, o cloreto e magnésio, auxiliam também não só na contração muscular, mas, na concentração sanguínea e na hidratação corpórea, por conseguinte.

O produto é apresentado nos sabores “cola” e “ponche de frutas”, em embalagens de 300g, a qual renderá 20 porções de 15g. O produto deve ser ingerido com metade de sua porção, com água e depois, ingerido a cada 15-20 minutos de treino. Pode-se chegar até o consumo de 1 scoop completo.

Para comprar este produto, você terá de importar, pois ainda não é vendido no Brasil. Para comprá-lo, clique aqui.

Comente!